quinta-feira, 17 de novembro de 2011

* Peeling de fenol - sensacional: Dr. José Kacowicz

IMPRESSIONANTE!
É um fenol atenuado: MULTIPEEL – FENOL LIGHT”, o “NEOPEEL"
O Dr. Kacowicz explica o procedimendo do que acontece em:
YOUTUBE:

1)      Entrevista na Ana Maria Braga (teste feito em Jussara Collonese, 62 anos)
Dr. José Kacowicz, entrevista a Ana Maria Braga – parte 1
Idem a:

Peeling de Fenol 1ª Parte

 

2)      entrevista ao programa hoje em dia:



Contato:
Dr. José Kacowicz
Endereço:
 Al. Araguaia, 1293 Sala 704 Alphaville/ Barueri
Fone: 11 4689-0812
dr@kacowicz.com.br

www.rugamedica.com.br

http://www.aconteceemalphaville.com.br/estetica_ed22.htm








Rejuvenescendo 20 anos em apenas quatro dias

Por Dr. José Kacowicz *
O Multipeel é um peeling de fenol atenuado e é considerada a técnica mais eficaz para retirada de rugas da atualidade. Existem relatos da utilização do fenol como agente de peeling há mais de 150 anos, mas foi somente a partir dos anos 60 que dois respeitáveis médicos americanos, Backer e Gordon, popularizaram a técnica com uma formulação à base de fenol, que era aplicada sobre a face com o auxílio de cotonetes. Nessa época, o paciente era submetido a duas anestesias gerais e internação hospitalar de até 15 dias. Como o fenol é um agente volátil, ou seja, evapora, após sua aplicação, era montada uma máscara de esparadrapos sobre a face do paciente com a finalidade de manter o fenol abafado (ocluído) sobre a pele. Depois de aproximadamente 48 horas, esses esparadrapos eram retirados da face num processo bastante doloroso para o paciente.
Há mais de 20 anos iniciamos nossos estudos no Brasil partindo da fórmula clássica de Backer. O primeiro passo foi modificar a formulação clássica de fenol a fim de torná-la menos tóxica e agressiva. A forma encontrada foi a mais lógica: a pré-oxidação do fenol. Assim, o agente fenólico tornou-se menos agressivo, e ao mesmo tempo menos volátil, não requerendo mais a incômoda máscara de esparadrapos. Essa evolução tornou a técnica auto-limitada, ou seja, se utilizada dentro das boas normas técnicas, o peeling não aprofunda além do necessário porque ele pára sua ação sozinho, exatamente na sexta camada da pele, a vasa-dérmica. Dessa forma, criamos o primeiro peeling profundo de fenol sem a incômoda máscara oclusiva, sem dor e muito mais seguro para o paciente.

E para otimizar os resultados obtidos, recentemente criamos a técnica da Exoplastia Ortodérmica, um gel chamado Exoplasty especialmente formulado com poliuretano, silicone e peptídeos, que se polimeriza e seca em contato com a face, formando uma película tensora que tem a função de reposicionar as estruturas faciais em posição ideal, posição ortodérmica. Esta nova metodologia, que não requer mais anestesia ou internação, tornou o pós-peeling infinitamente mais simples, menos doloroso e traumático que o peeling de fenol aplicado da forma clássica. E em apenas quatro dias já é possível remover a Exoplastia e ver os primeiros resultados do tratamento. O método Multipeel é considerado no meio acadêmico um verdadeiro lifting químico, e a melhor técnica de rejuvenescimento da pele facial da atualidade.
Indicações

A Exoplastia Ortodérmica pode ser realizada no consultório, não requerendo anestesia. É recomendada para pessoas com sequelas cicatriciais de acne e envelhecimento da pele e manchas faciais, podendo ser realizada em qualquer época do ano.

Contra-indicações


As contra-indicações são as mesmas de qualquer peeling profundo, tais como pacientes grávidas, diabéticos descompensados, cardiopatas, nefropatas, hepatopatas, etc.

* Dr. José Kacowicz é médico formado em 1980 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ; President of the International Society of Peeling and Chemical Surgery (Barcelona, Espanha) - Presidente da Sociedade Internacional de Peeling e Quimiocirurgia até 2010, tendo sido reeleito na última assembléia da Sociedade que aconteceu em Madri, na Espanha; Coordenador do Ambulatório de Quimiocirurgia do Serviço de Dermatologia da Faculdade de Medicina do ABC – Professor Carlos Machado. Suas técnicas são respeitadas pela comunidade médica da Europa, Rússia, Ásia e recentemente foi introduzida nos EUA. Seupeeling à base de fenol - o Multipeel - é reconhecido como um dos mais avançados métodos químicos de rejuvenescimento facial dos últimos tempos.


Por muitos e muitos anos, atribuiu-se aos peelings fenólicos inúmeros aspectos negativos referentes a sua toxicidade. Esta fama deveu-se, em grande parte, ao uso da fórmula clássica de fenol com máscara oclusiva, que data dos anos 60. A utilização desta fórmula apresentava inúmeros inconvenientes, tais como a necessidade de estrutura hospitalar para a sua realização, centro cirúrgico, anestesia geral, monitorização cardiológica, hidratação reforçada, internação, medicamentos pós peeling, etc. Além disso, muitas vezes, o resultado era aquém das expectativas, sem falar nos altos custos e efeitos indesejáveis, tais como dor, discromias, mosaicos etc.
Entretanto, a verdade sempre foi gritante: - o fenol é o agente de peeling que apresentava, e ainda apresenta, incontestavelmente, os mais exuberantes resultados, tanto em termos de qualidade e reorganização do colágeno, como em termos de retração da pele, não havendo até o momento, nenhum outro agente que o supere na remoção das rugas e no tratamento do envelhecimento cutâneo.
Após os anos oitenta, inúmeros cientistas focaram seus estudos em novas formulações utilizando o fenol, objetivando diminuir os efeitos indesejáveis das formulações clássicas dos peelings de fenol com máscara. Na vanguarda destes novos e revolucionários estudos, o Brasil vem se destacando, principalmente devido às pesquisas de um médico brasileiro, que vem desenvolvendo toda uma nova família de peelings fenólicos de alto desempenho e baixa toxicidade, que já estão tendo grande aceitação em vários países da Europa, EUA, Rússia e Coréia do Sul, com resultados realmente incontestáveis.
Dentre estas novas tecnologias, destacamos o “MULTIPEEL – FENOL LIGHT”, o “NEOPEEL", nos quais, a quantidade de fenol utilizada por procedimento é muito menor, o que lhes confere excelente índice terapêutico, ou seja, segurança. O Multipeel é um de peeling fenólico conjugado a outros agentes queratolíticos potencializadores e substâncias moduladoras de sua absorção primária, o que diminui enormemente a sua toxicidade. Por outro lado, estes peelings modernos não requerem estruturas hospitalares para a sua realização. O procedimento é ambulatorial e indolor, não requerendo anestesia ou internação, assim como antibióticos, antiinflamatórios, etc, no pós-peeling. Outra característica destes peelings é o seu auto-controle, ou seja, , são “auto-stop” na derme superficial, sexta camada da pele, que é o nível ideal destes peelings profundos. Outra diferença fundamental em relação ao processo antigo, é que este método é totalmente aberto, não necessitando de máscara oclusiva de esparadrapo, o que representa enorme conforto para o paciente. E o resultado é extraordinário.

Montagem sobre foto de Fabiano Accorsi/ÉPOCA e arquivo pessoal
ENVELHECIMENTO PRECOCE Fátima Rodrigues, de 47 anos, tinha rugas desde os 18. Na montagem, o rosto atual é o da frente
Em janeiro, a contadora Shirley e seu marido, o fiscal de rendas Roberto Marthes, fecharam a casa em que moram, em Sorocaba, interior de São Paulo, para veranear no Guarujá. Tomavam café da manhã com a televisão ligada, e algo lhes chamou a atenção: no programa Mais Você, de Ana Maria Braga, uma reportagem sobre um método de rejuvenescimento que parecia a solução de qualquer angústia com as marcas da idade. Não se tratava de cremes milagrosos nem cirurgias plásticas, e o resultado parecia bem mais natural. Na tela via-se a metamorfose de mulheres que remoçavam 20 anos. Acompanhando-as, o médico carioca radicado em São Paulo José Kacowicz, de 50 anos, o responsável pela façanha. Mesmo com poucas rugas, Shirley e Roberto, de 46 e 44 anos, resolveram ir ao consultório em Alphaville, o elegante condomínio fechado nos arredores da capital. Roberto, principalmente, estava decidido a recuperar a juventude perdida.
Ele não é o único. Brasileiros de todas as partes lotam a sala de espera e congestionam as linhas telefônicas de Kacowicz desde que o método patenteado por ele foi mostrado na TV. ''Minha vida tornou-se uma loucura'', diz Kacowicz. O entusiasmo do público é justificável. Observando-se as fotos tipo ''antes e depois'' dos pacientes, tem-se a impressão de que foi descoberta a fonte da juventude. O peeling que Kacowicz faz é uma novidade apenas em termos. É à base de fenol, um ácido bastante usado para descamar a pele desde os anos 60 - sempre com resultados espetaculares de rejuvenescimento, mas dificuldades e riscos enormes de aplicação. O que Kacowicz descobriu foi uma forma de suavizar, ''domar'' o fenol, reduzindo o desconforto na aplicação e, segundo ele, também os riscos e os efeitos colaterais da substância (como complicações renais, por exemplo). O peeling de fenol tornou-se um procedimento médico mais simples, capaz de devolver a peles castigadas e marcadas a firmeza, o tônus e o viço da juventude. ''Esse peeling é uma chance de zerar, de começar de novo legal. É claro que a pele vai envelhecer de novo, mas a gente tem uma chance de cuidar melhor dela e adiar o surgimento das marcas e manchas'', diz a esteticista paulista Fátima Rodrigues, de 47 anos, que passou pela clínica de Kacowicz há cinco.
Peeling é o nome genérico dado a qualquer descamação da pele feita com o objetivo de estimular a formação de camadas de células novas. Ele pode ser superficial, médio ou profundo. O de fenol é profundo e, na verdade, está por aí desde o fim do século XIX. Ficou mais popular a partir dos anos 60, quando o americano Thomas Baker criou uma formulação e um método razoavelmente seguros. Apesar de estar em uso até hoje, a fórmula de Baker não é uma opção tranqüila para o médico. ''O fenol é muito agressivo'', diz o dermatologista paulista Ival Peres Rosa. ''Ele pode causar insuficiência hepática e renal, além de arritmia cardíaca. Já fiz peeling de fenol em homens e mulheres, mas escolho bem os pacientes.'' Por causa do risco de arritmia cardíaca, um peeling com a fórmula de Baker precisa obrigatoriamente ser monitorado por aparelhos. Além de tudo, é muito dolorido e o paciente tem de ser anestesiado. Isso sem falar no pós-operatório. São dois dias com o rosto coberto de esparadrapos e outros tantos com a face praticamente em carne viva - até que se forme uma casca que vai cair e dar lugar à nova pele. Por fim, o fenol também pode causar manchas e quelóides.
A exemplo de Kacowicz, muitos profissionais vinham tentando atenuar a fórmula de Baker. Vários conseguiram 

6 comentários:

  1. É impressionante! Simplesmente fantástico!
    Parabéns Dr. José por ajudar a auto-estima das pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou homen de 33 anos e fiz depilção a laser na barba, eu posso fazer o peeling de fenol? Qual o valor em média?

    ResponderExcluir
  3. Conheça um pouco mais sobre o Dr. José Kacowicz!
    http://josekacowicz.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu preciso demais fazer a exoplastia me ajuda a chegar até esse médico por favor

      Excluir
  4. Conheça um pouco mais sobre o Dr. José Kacowicz!
    http://josekacowicz.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu preciso demais fazer esse procedimento ,me ajudem a chegar até esse médico,porque até o acesso a ele é dificil.

    ResponderExcluir